segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Que tempo bom...

No último fim de semana aconteceu em Guarulhos o Fest Jovem, uma competição saudável com músicas e apresentações de danças feitas por jovens que fazem parte da Pastoral da Juventude. Muita animação, barulho, equipes organizadas com bandeiras e cores para diferenciação das igrejas, munidas com qualquer instrumento para fazer barulho desde um apito, panela, tambor, lata de tinta, reco-reco, triângulo, chocalho e outros mais. Não participei do evento por completo, mas no período da tarde estive presente, pois minha mãe era uma das juradas do campeonato e observando tudo o que acontecia me vi em muitos daqueles jovens que estavam ali, cantando, dançando, gritando, chorando e acima de tudo louvando a Deus. Aquela cena me fez voltar a alguns anos, na minha época de PJ, na minha época de “A Renca”.

Nosso grupo de jovens tinha como lema: Amizade, Responsabilidade, Educação, Novidade, Consciência e Amor a Deus. Nos encontrávamos semanalmente em reuniões que eram muito mais que simples encontros de jovens da igreja, eram encontros cheios de dinâmicas, teatros, lições e mensagens de Deus. Pra mim, essa época foi uma preparação para a vida, foi lá que conquistei amigos maravilhosos, aprendi a valorizar as pessoas, a conviver com as diferenças, a respeitar opiniões divergentes da minha, aprendi a compartilhar, aprendi que o pouco se faz muito quando não se tem nada, aprendi a não ser individualista, a olhar para o meu próximo e enxergar a pessoa de Cristo sem fazer acepção de pessoas. Eram os encontros me davam força para sair de lá e lutar pelos meus sonhos...

Uma vez por ano, acontecia a grande gincana, éramos divididos em equipes, fazíamos arrecadações de alimentos, tínhamos os bailes para arrecadar leites, pegávamos latinha na rua que contava muitos pontos, participávamos de provas de resistência, provas de missões humanamente difíceis, como por exemplo, levar uma pessoa que participou da 2ª Guerra Mundial. Sem falar nos gritos de guerra, nas músicas coreografadas e nos ensaios para a prova das danças. Apuração do resultado era a parte mais tensa do evento, depois daquele momento com certeza viriam lágrimas, algumas vezes de alegria pela tão lutada vitória e outras de tristeza por termos perdido por pontos tão pequenos, mesmo com tudo isso, só tenho uma coisa a dizer, que época gostosa e que sinto muita falta.

Não posso deixar de agradecer a Deus por algumas pessoas que estiveram comigo nesta época tão especial: Paulão (hoje Padre Paulo), Thaís, Elaine (Gorda), Daiane, Patrícia, Wagner, Marcela, Gelson e Pastel e tantos outros jovens que passaram por lá...

2 comentários:

Taís Silva Oliveira disse...

Oie!! Invadindo seu blog! Td bem? Sou da equipe que organixou o Fest, fico feliz por ter gostado da tarde de domingo, mtas pessoas se doaram de corpo e alma pra fazer o maravilhoso espetaculo dos jovens! Me identifico com seu texto a PJ é uma maravilhosa experiência de passagem, ainda estou nela e pretendo continuar por mais tempo, mas já foi tremenda importante pra vários aspectos de minha vida, inclusive o profissional!! E o principal objetivo é fazer com que mais jovens possam se beneficiar com esse apoio espiritual/formativa da Pastoral!! Enfim, agardecemos (td equipe) pela presença de sua mamis e a sua no Fest, precisando da gente é só dar um grito!!! Bjo.... Ótimo blog, ja ta nos meus favoritos!

Rosi disse...

Oi Erikinha
Pelo jeito o final de semana foi bom, né?!
Tb lembro com carinho do grupo de jovens da igreja, da catequese, essa é uma época que realmente deixa saudades.
ótima semana