quarta-feira, 22 de julho de 2009

Tempos Modernos

Na minha aula do último sábado falou-se sobre a questão da diversidade nas empresas; não somente diversidade de raça, gênero e outras condições, mas sobre a importância da diversidade de pensamentos e questionamentos.

Um das alunas comentou que trabalha em uma empresa automotiva e que lá o perfil desejado é de que todos os funcionários sejam felizes recebendo o seu salário no final do mês, conformados em apertar parafusos para sempre e sempre do meio jeito.

Rapidamente uma outra aluna argumentou: “Gente, desculpa mas sempre teremos que ter pessoas que não precisem pensar muito, senão quem apertará os parafusos?”

Bastou ela terminar a frase para gerar uma discussão, com todos discordando de sua opinião. Parecia que ela tinha dado um tapa na cara de todo mundo, tamanha revolta, mas eu confesso que sai de lá matutando por um bom tempo.

Pensei que ela estava errada, pois se todos fossem estimulados a pensar o mundo seria muito melhor... Por exemplo, novas idéias de como se apertar o parafuso surgiriam, poderiam ser construídas novas máquinas que se encarregariam de fazer este trabalho, enquanto aqueles que antes apertavam o parafuso se dedicariam às atividades estratégicas e culturais.

Só que aí vieram outros questionamentos:
- Quem apertaria os parafusos da tal máquina que aperta os parafusos?
- Outra máquina, ué!
- Tá, mas e quem apertaria o parafuso dessa outra máquina então?

Passei a me sentir encostada na parede com minha visão simplista, que caía sempre no mesmo círculo vicioso... E até agora não consegui encontrar a resposta certa, sempre tenho prós e contras!

A única conclusão que cheguei é a de que nosso mundo capitalista realmente faz questão de reforçar o modelo alienado de um grupo de pessoas e países.

No Brasil mesmo, não há incentivo para educação de qualidade por que? Se todo mundo for politizado, questionará as diretrizes de nossos manda-chuvas.

E os EUA? É necessário estarem cercados por países menos desenvolvidos assim a mão-de-obra do México, por exemplo, aceita ir até lá fazer o que nenhum americano quer (se bem que agora, pós-crise, nem sei se as coisas continuam assim... Pode ser que eles tenham que colocar a mão na massa, pois não tem tanto $$$).

Se você está lendo esse post e tem alguma opinião sobre o assunto, me dê uma luz... Seu comentário será muito bem vindo!

3 comentários:

Row51 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Row51 disse...

Adorei esse texto !

Moisés disse...

Quem apertaria os parafusos da tal máquina que aperta os parafusos?.....

Fê, vou querer os meus diretos autorais..rs.